Início > Sem categoria > Primeira vez

Primeira vez

Em post iniciado pelo amigo Tadeu, venho aqui relatar a minha primeira vez… com o Linux =)

Foi numa PC Expert, acho que o número era 13 (em outro momento confiro), veio o Conectiva 3.0 Guarani. Na época eu era adolescente e não sabia o que queria da vida, estava deslumbrado em saber que havia outro sistema operacional além de DOS e Windows (na época, ainda dependente do DOS). Porém, como havia apenas um computador na casa, não pude instalar. Não sabia como fazer nada e havia o medo de tentar e estragar. Como era tolo.

Foi um amigo de meu primo que me mostrou outros *nixes, como o FreeBSD, o OpenBSD e outros sabores de Linux. Foi aí, quando tive um Pentium 2 em casa sob meu comando, que pude violar a garantia e instalar outros sistemas além do Windows 98. O maior problema era a incompatibilidade com as placas-mães com tudo onboard e os famigerados win-modem.

Depois de testar o Conectiva 4.0 em dual boot, resolvi instalar por conta própria (após um Dia de Fúria com o Windows, provavelmente travamentos diversos em um jogo ou com o ICQ) o Red Hat 6.2. Foi a primeira formatação sem retorno, sem backup que fiz, ainda xingando o sistema da Microsoft. Usei por 1 madrugada (com a alegria de finalmente ter conseguido configurar o tal win-modem usando um tutorial), largando em seguida pela falta de um driver de som compatível.

Mais tarde, na faculdade, com máquinas virtuais e sistemas mais user friendly (Ubuntu, estou olhando pra você), passei a usar mais o Linux (e em um momento o Minix) e tanto que agora o Ubuntu é o sistema operacional do micro usado por meus pais lá em Resende e daqui do Rio (temporariamente até resolver a pendenga com o outro HD).

Como disse o amigo Lourival, o sistema operacional deve ser transparente ao usuário. Ele deve fazer seu trabalho sem aparecer, sendo o gerenciador dos recursos. Afinal, o usuário final padrão (aquele que não é programador) quer usar seus programas, não quer fazer dezenas de configurações que são alienígenas a ele. E é nessa direção que o Ubuntu está se encaminhando (e que o MacOS já faz há anos – viu Jan, citei).

Agora mudando de assunto, a Vivi do Girls of War postou sobre um jogo interessante, Ricochet Kill 2. Aproveite para matar um pouco do tempo no estágio, ou na aula de Javascript. E para fazer pipocas de microondas de um jeito meio hippie, dê uma olhada nesse link compartilhado pelo pessoal do Lifehacker: pipoca de microondas no papel-embrulho.

Bom, já chega pelo post da madrugada, até mudamos de assunto hoje. E você, como foi sua primeira experiência com o Linux? Comente aqui embaixo ou no seu blog (e deixe o link!). Postado ouvindo a banda Glass and Glue.

Anúncios
Categorias:Sem categoria Tags:, , ,
  1. agosto 8, 2010 às 06:59

    Completando as informações do post:O Conectiva não existe mais hoje, foi substituído pelo Mandriva e o Red Hat mudou de ares e tem uma outra versão gratuita no Fedora

  2. agosto 8, 2010 às 15:52

    O Loris também usou o Guarani. Sugiro que criemos uma ONG, "Órfãos do Conectiva Guarani."Ô tempos bons da computação pessoal que não voltam mais.

  3. agosto 8, 2010 às 22:03

    "Aproveite para matar um pouco do tempo no estágio, ou na aula de Javascript".Senti que essa foi uma indireta! hauahuahauha

  4. agosto 8, 2010 às 22:11

    Nunca precisei de indiretas com você ;D

  5. agosto 9, 2010 às 01:15

    Me lembro como se fosse ontem…eu olhando para o ubuntu…ele olhando p/mim…tudo tão transparente, ele é tão sincero!Mas não dava para ser monogâmica, eu ainda precisava do windows. Ubuntu não resistiu e terminamos. Confesso que ainda gosto dele, mas temos que amadurecer um pouco antes de voltarmos.

  6. agosto 25, 2010 às 15:46

    Salve, Minha primeira experiência foi, se minha memória não está me traindo, com um Red Hat 5 com KDE, que veio numa revista também. Na época tinha um K6-II 400hz, com Winmodem, foi um parto para conseguir conectar na Internet, apanhando dos KPPP. O tempo bom, mas sofrido, rs.Hoje dia, uso o Ubuntu e o Crunchbang pra quase tudo que faço no computador. O dia que GNU/Linux tiver pacote Adobe e Steam, irei no Windows só para não desaprender :)Abraços! Rian

  7. Jan
    agosto 29, 2010 às 22:51

    ElloUbuntu está se tornando cada vez mais interessante. Instalei aqui no Virtual Box e rodou direitinho. Mas o Mac OS X ainda está muito à frente em termos de usabilidade. E o iOS, então, nem se fala.Obrigado pela citação, mas você podia ter linkado para o post sobre o assunto.

  1. No trackbacks yet.

E o seu comentário?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: