Início > sociedade > Sobre o "orgulho nerd"

Sobre o "orgulho nerd"

Recentemente ouvi algumas pessoas defendendo o que faziam porque eram nerds. Em outro blog (embora me fuja o nome), li sobre o “orgulho nerd” que se formou após a popularização na mídia. Na época de Freaks and Geeks (que só vi uns 3 episódios), não era bem assim, mas após The Big Bang Theory atrair a atenção dos formadores de opinião – porque quem dita as tendências está formando a opinião dos que a seguem – ser nerd virou chique e essa tribo urbana recebeu os holofotes e uma incursão de vários novos “membros”.

Incomodado com isso, coloco alguns itens sobre porque você não deve sair por aí falando que é nerd só por fazer algumas coisas estereotipadas.

  1. Jogar videogame não te faz nerd.

    Apesar dos jogos terem começado na academia por hackers (observem qual o sentido aqui utilizado) que queriam aproveitar os computadores parados e transbordavam de criatividade – ou tédio – há muito deixaram de ser “de nerds para nerds”. Jogos são feitos para serem vendidos (a menos que você seja um desenvolvedor indie otimista, mas esse é um assunto pra outro dia) e atenderem a uma demografia grande o suficiente para haver lucro. Faz tempo que já caiu essa ideia de quem joga ser o cara diferente da turma que prefere ficar em casa em frente ao computador a bater uma pelada com os amigos, jogos são para quem quiser jogar. Atualize sua cabeça.

  2. Usar camisa com frases ou imagens de um universo não te faz parte dele

    Já cansei de ver pessoas usando camisa do Laranja Mecânica para parecerem alternativos e cool… sem nunca terem visto o filme nem saberem termos como drooges, moloko, etc. O mesmo vale pra bandas (dica: Ramones é punk e vestir a camisa não te faz mais alternativo que o cara que tá usando uma do Strokes), aliás, quando eu ia nos showzinhos em Resende, a gente chamava essas pessoas de posers, punk de boutique, piperô, etc. Conheça suas referências. Não use uma camiseta do Star Wars se não souber a diferença entre um Wookie e um Ewok (aliás, isso pode ser fatal).

  3. Ler Harry Potter não mostra pra todo mundo que você é nerd

    Não, meu caro leitor que lê HP, não o criticarei aqui. De fato, HP pode ser substituído por qualquer outra literatura fantástica ou de ficção científica. Isso só mostra que você lê, o que é bom (ainda mais depois de ter ouvido numa mesa de bar ao lado que as pessoas comentavam – com certo orgulho – de só ter lido 1 livro na vida… shame on them). Continue lendo, seja J. K. Rowling ou Machado de Assis, mas não espere que isso te rotule como alguma coisa, só como intelectual – isso porque se você está lendo um livro qualquer, é considerado intelectual, vejam só…

  4. Se autodenominar nerd não é legal

    Não sei como é hoje nos colégios, mas na minha época, se você era chamado de nerd é porque era diferente do padrão e acabava se sobressaindo em alguma matéria. O termo ganhou e perdeu significados com o tempo e gerou filhotes. O orgulho em ser alguma coisa não está em cantar aos quatro ventos que é, afinal se dizem que rotular é idiota e preconceituoso, por que faria isso consigo? Na comunidade hacker isso é bem conhecido, quem chega cantando de galo que é, não passa de um script kiddie que acha que impressiona os amiguinhos com o net send (e esse deve estar se perguntando porque não funciona no Windows 7). Orgulhe-se por poder ser de queixo erguido e não precisar esconder o que é, mas não por sair falando por aí.

  5. Você não é nerd por ser o cara isolado

    Isso só mostra que você tem problemas em se socializar e pode ser o cara que vai matar os amiguinhos no recreio do colégio. Fique longe de mim! Mesmo os estereótipos clássicos do nerd mostram que ele é um ser social, forma grupos, discute e tem relacionamentos. Se você não consegue se relacionar com outras pessoas, não se chame de nerd. Procure um psicólogo ou não conseguirá ir muito longe na vida.

O leitor esperto percebe que pode substituir nerd por qualquer outra tribo urbana que os itens permanecem válidos. Faz parte da natureza humana, na adolescência principalmente, querer pertencer a algum grupo definido, usar suas cores, cantar seu hino e agir como uma unidade. Não há nada de errado nisso, é uma faceta do comportamento em sociedade, mas o sujeito não precisa ser um boçal pedindo para todos o reconhecerem como tal.

Você pode ser mod ou rocker (oi anos 60), punk ou metaleiro, otaku ou hipster ou outra tribo, seja sim, mas ninguém precisa ficar ouvindo você se defender como parte de uma tribo, isso é lame.

E você, leitor que aguentou chegar até aqui. Concorda, discorda, acrescenta, vai deixar de usar aquela camiseta do Super Mario até de fato ter jogado? Até o próximo post.PS: Saiu no Gizmodo um texto com sabor similar, recomendo: http://www.gizmodo.com.br/conteudo/deveriamos-mesmo-comemorar-o-dia-do-orgulho-nerd/
Anúncios
Categorias:sociedade
  1. abril 25, 2011 às 22:05

    >Eu concordo! :DFalou bem, hein, Baere?Eu não tenho camisetas legais, de frases, de desenhos, de nada u.uMas um dia compro uma! rsrs

  2. abril 25, 2011 às 22:05

    >Lol, eu sempre fui da turma (digo turma mas era eu sozinho) do maluco estranho piradão que estranhamente recebia todo amor e carinho das professoras e das alunas mais velhas.Sempre tive orgulho de ser um maluco estranho piradão. E não tenho medo de me rotular e parecer idiota, na verdade auto-rotulamento como meio de se isolar propositalmente foi meu primeiro ato de anarquia anti-capitalista.Não digo que sou nerd, pois acho que me falta muito para ser nerd. Mas muitas pessoas me rotulam assim só porque gosto de video-games desconhecidos, jogos de RPG e sou uma traça literária. Mas eu também curto metal, saio para beber e encho a cara, vou para as baladas e saio pegando as MILFs (hehehe).Mas, anyway, os nerds sempre foram o meu grupo preferido, os mais divertidos de conversas e geralmente os únicos que entendiam o que eu dizia. Sempre apoiei, apoio e sempre apoiarei os Nerds.

  3. abril 25, 2011 às 22:18

    >@Vanessa: Depois eu te passo as minhas fontes de camisas, a última que comprei (ironicamente é a de Alex Kidd misturado com Laranja Mecânica, mas joguei e vi =D) acabou não me servindo. Hora de voltar à academia.@Jota: Mas você sempre soube do que falava e não mudou de tribo só porque virou modinha, é isso que diferencia. By the way, o Gil me falou que você vai mestrar TRPG. O meu bestiário chega semana que vem, eu acho.

  4. abril 25, 2011 às 22:47

    >Jotalhão é um Milf Catcher "Let's cath'em all" XD kkkkkBem, me rolutam de nerd… alias, sei lá do que me rotulam ou rotulavam no colégio ou na minha vida social. To pouco é me fudendo pra isso e sou eu que faz CSO e se preocupaca com as facetas sociais humanas. Como você falou é normal… na adolescência, especialmente, pois se trata nada mais e nada menos da busca pela identidade pessoal. E a forma mais fácil de formar sua própria identidade, é se baseando nos outros. A Natureza humana tende a seguir pela lei do menor esforço… kkkk

  5. abril 25, 2011 às 22:55

    >Muito bom. Sabe que algumas pessoas [que se dizem nerds] me criticam por ser 'nerd demais'? Tipo, agora eu sou ignorada pela 'minha' classe porque não sou 'cool' o bastante pra eles!

  6. abril 25, 2011 às 23:13

    >Fiquei aliviado ao fim do texto, pois não me enquadro em nenhuma situação xDEnfim… ri rios aqui quando você tocou no assunto dos piperôs kkkkkkkkTenso… tem muita gente que precisa ler esse texto pra cair na real…Belo post…

  7. abril 25, 2011 às 23:15

    >@Gust: Se ele fosse um MILF Trainer, aí seria bizarro. Milf uses Seduce. It's super effective!!!

  8. abril 25, 2011 às 23:57

    >rá sempre fui e sempre serei nerd, assim como tenho meu lado meio pop, patricinha e etcs, nao era isolada, mas sempre curtia coisas exóticas XD sempre me adaptei a diversas tribos, escuto diversos tipos de músicas, e não me bolo de nenhum rótulo que possam me dar, sou o q sou e tenho orgulho de ser assim, posso ir pra qualquer lugar e conversar sobre qualquer coisa e me sinto feliz e bem, mas claro tem coisas q eu prefiro, sinto orgulho de ser "nerd" talvez uma new nerd hkahkahkukaukha, sou nerd, sou bruna, sou paty, sou eu, cada um gosta do q quer e fala do q pensa q é, modas sempre tem e sempre terão, tem no mundo dos games, nos nerds, nos playboys, no parkour, nos tricks, na faculdade, o mundo vive de modas e de pessoas que querem ser algo q não são para se sentirem dentro de um grupo, nao faça parte de um grupo, seja parte de todos e se orgulhe e tenha coragem de dizer e assumir o q vc curte 😀

  9. abril 26, 2011 às 01:50

    >"Você não é nerd por ser o cara isolado"A grande prova é vc, que apesar de passar dias na frente do pc/console, ainda sai pra encher a cara com os amigos.. XD

  10. fevereiro 2, 2012 às 03:00

    Concordo 1000 vezes! Traduziu meus pensamentos, Baère. Já passei da adolescência, obrigada.

  1. No trackbacks yet.

E o seu comentário?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: